16
Abr 09

Pesquisas realizadas por um grupo de cientistas da Universidade Stanfors, nos Estados Unidos, e publicadas nas revistas científicas: “Journal of Pediatrics” e “Journal of Adolescent Health” comprovam que os jovens ao acederem a websites defensores da anorexia e bulimia como sendo um “estilo de vida” pioram a doença e que esta situação leva à destruição tanto da vida de adolescentes,como de adultos, sendo sobretudo as crianças as atingidas de forma grave. Segundo os pesquisadores os olhares devem ser redobrados sobre o uso da internet por parte dos jovens que apresentem sinais de problemas de peso.

O 1º estudo consistiu na realização de um questionário anônimo acerca da utilização da internet em casa a 76 pacientes diagnosticados com transtornos alimentares entre 1997 e 2004, com idades entre os 10 e os 22 anos e a 106 familiares.
Os resultados indicaram que metade dos pacientes já visitara este tipo de sites e entre eles 96% admitiram aprender técnicas para fazer dietas e vomitar. Ao comparar estes pacientes com os restantes foi possível concluir que as suas doenças duravam um período de tempo mais longo devido ao tempo ser passado mais online do que em outras actividades escolares.
O facto inesperado foi ao comprovar que igualmente os sites dedicados a ajudar pacientes a recuperarem-se produziam efeitos contrários, tendo 50% afirmado que aprendera novos métodos para perder peso ao visitá-los.
Relativamente aos pais, metade sabia da existência de sites a favor da anorexia e bulimia, entre os quais só 28% discutira este assunto com os filhos e apenas 20% deles impunha limites no tempo passado online ou nos conteúdos visitados.
No 2º estudo observou-se que as crianças que têm perturbações alimentares perdem peso mais fácilmente e rápidamente do que qualquer adolecente. Nas crianças a doença acaba por adquirir características próprias dificultando o diagnóstico e agravando o problema.
Nesta idade a falta de comida afecta a altura e o peso, no entanto a criança pode aparentar estar saudável sem estar de facto. Ao contrário dos adolesceste e adultos que pertendem perder peso, a maior parte das crianças não sabem a razão de não quererem comer. Os cientistas referem que pode dever-se ao facto de a criança demonstrar que não quer crescer e quando assim é, são detectados mais casos em rapazes do que em raparigas ao contrário do que acontece em idades superiores.
O facto de na infância as crianças desejarem emagrecer é um sinal de alarme a ter em consideração.


publicado por Jada às 18:34
sinto-me: Preocupado

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
Visitas
Criar site
Criar site
Sobre Nós
Boas! Somos um grupo de trabalho da Escola Secundária de Linda-a-Velha e, no âmbito da disciplina de Área de Projecto estamos a realizar um trabalho sobre Anorexia e Bulimia. Vocês devem-se estar a perguntar onde pretendemos chegar com a criação deste blog. Bem, a resposta é bastante simples na verdade: primeiro, é bom que fique claro que nós não queremos de modo algum criticar ninguém, mas sim tentar alertar e/ou ajudar quem sofre destes distúrbios e quem convive com estas pessoas diariamente. Assim, contamos com a vossa colaboração e apoio! Obrigado!!! :)
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO